quarta-feira, 30 de novembro de 2016

#03 - Espiando a Galeria Lafayette em Paris



No vídeo de hoje levo vocês para espiarem a Galeria Lafayette em Paris. Mostro um pouco de cada um dos andares e do terraço maravilhoso.

Endereço: 40 Boulevard Haussmann, 75009 Paris

Gostou? Então inscreva-se no canal, curta e compartilhe :)

Bisou,
Bia Ghedini

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Roteiro de 3 dias Normandia - 3º dia Praias do Desembarque (Dia D)

Pointe du Hoc

Chegou o último dia do roteiro de 3 dias pela Normandia! Vamos 
recapitular:

1º Dia: Étretat , parada rápida em Le Havre e dormir em Honfleur. (Post aqui)
2º Dia: Explorar Honfleur e visitar Trouville e Deauville. (Post aqui)
3º Dia: Praias do Desembarque (Dia D).

Antes do roteiro, vou fazer uma pequena introdução sobre o que foi o Dia D e as praias do desembarque. 

Na manhã de 6 de junho de 1944, aconteceu a maior operação militar da história, durante a Segunda Guerra Mundial: o Dia D. Milhares de soldados das tropas aliadas (França, Inglaterra, Canadá e EUA) começaram a desembarcar nas praias da Normandia para retomar a França  que estava ocupada pelos nazistas. 

Os soldados americanos desembarcaram nas praias que hoje levam os nomes de Utah e Omaha; os ingleses, canadenses e franceses desembarcaram em Gold, Juno e Sword. Para quem se lembra, o filme "O Resgate do Soldado Ryan" traz uma das mais icônicas encenações das batalhas ocorridas nesse dia.

No último dia de nossa viagem pela Normandia, tivemos a oportunidade de conhecer as 5 praias citadas acima, a Pointe du Hoc e Arromanches. Explicarei um pouco sobre cada um desses locais a seguir.




Utah

Tomamos o delicioso café da manhã do hotel, fizemos o check-out e partimos para Utah. (Neste post falo sobre como escolho os hotéis pela Europa e em particular sobre esse café da manhã)

De Honfleur até Utah foram 1 hora e 40 minutos de carro.

Saindo de Honfleur, Utah é a mais distante das cincos praias do desembarque. Na operação que ocorreu nesta praia, 20 mil soldados e 1700 veículos motorizados desembarcaram.

Hoje em dia, Utah conta com alguns memoriais, homenagens e até mesmo um museu. Como praticamente todas as praias tem o seu museu sobre o Dia D, optamos por apenas fazer a parte a céu aberto em Utah. Ficamos por ali por cerca de 1 hora e tiramos muitas fotos.

Utah Beach

Utah Beach

Utah Beach

Utah Beach


Pointe du Hoc

No caminho de Utah para Omaha, paramos para conhecer a famosa Pointe du Hoc. O desclocamento levou uns 40 min de carro.

Pointe du Hoc é um rochedo à beira-mar com cerca de 30 metros de altura que, por conta de sua localização privilegiada, foi tomada pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Na época, o local contava com 5 casamatas que abrigavam peças de artilharia pesada e servia de ponto estratégico para a defesa das praias de Omaha e Utah.

A batalha que ocorreu aqui é muito conhecida por conta da dificuldade da operação colocada em prática pelos aliados. No Dia D, tropas americanas desembarcaram aos pés das imensas falésias e as escalaram com equipamentos de alpinismo sob a mira inimiga.   

Atualmente o local é de propriedade do governo dos Estados Unidos, que nele construiu um memorial e mantém preservadas as marcas deixadas pela batalha. Ainda é possível ver de perto as casamatas e crateras feitas por bombas. 

De longe, foi o local que mais gostamos de visitar. Foi uma verdadeira aula de história!


Pointe du Hoc
Essas crateras no chão foram feitas pelas bombas
É possível entrar nos bunkers e casamatas

Pointe du Hoc
Pointe du Hoc
Visão de dentro de uma das casamatas


Omaha

De Pointe du Hoc até Omaha são 15 min de carro.

Omaha foi a praia de maior resistência alemã e é também conhecida como "Omaha Sangrenta".

Memorial em Omaha Beach

No alto das falésias de Omaha fica o Cemitério Americano. Nele estão enterrados mais de 10 mil soldados americanos mortos durante as operações do Dia D. Este cemitério também é administrado pelos Estados Unidos.

O lugar é enorme e bem bonito. Tem um memorial e diversas homenagens pelo cemitério.

Cemitério e Memorial Americano
Cemitério e Memorial Americano
Cemitério e Memorial Americano

Arromanches

De Omaha até Arromanches foram 30 min de carro.

Paramos para almoçar um lanche e passear um pouco pela cidade, que é uma graça.

Arromanches e o museu ao fundo

Depois do almoço, visitamos o museu e vimos as ruínas do porto artificial construído pela Inglaterra após o dia D. Esse porto foi construído para desembarque das tropas, mantimentos e armamentos.

No museu vimos o trabalho que eles tiveram para construir esse porto artificial tão grande em tão pouco tempo e é realmente inacreditável!

Ruínas do porto artificial
Ruínas do porto artificial na areia e no mar
D-Day Museum em Arromanches

Gold

De Arromanches até Gold foram 15 min.

Gold era a praia central das cinco, com 8 quilômetros de extensão.

Gold Beach

Juno

De Gold até Juno foram mais 15 minutos de carro.

Juno Beach
Juno Beach



Sword

Por último passamos em Sword, que fica a 20 min de carro de Juno.

Em Sword, os ingleses desembarcaram cerca de 29.000 homens.

Sword Beach
Sword Beach

Essa foi a última parada antes de viajarmos 2h e 40 min de volta à Paris.

Sem dúvida essa viagem vai ficar marcada em nossas memórias para sempre. Além de todos os lugares novos, lindos e incríveis, ainda nos deparamos com muita história e descobertas.

Foi uma delícia contar essa viagem para vocês! Super indico esse roteiro para todo mundo!

Caso tenham alguma dúvida, deixe seu comentário!

Bisou :) 

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

#02 - Marché de Noël (Mercado de Natal) da Champs-Elysées em Paris


No vídeo de hoje mostro para vocês como é o Marché de Noël (Mercado de Natal) da Champs-Elysées em Paris.  O lugar, as comidas e algumas barraquinhas.

Estações mais próximas e alguns outros mercados de Natal em Paris:

• Mercado de Natal da Champs-Elysées: Metrô linha 1, estações: Concorde, Champs-Elysées Clémenceau ou Franklin Roosevelt.
• Mercado de Natal de Saint-Germain-des-Prés: Metrô linha 4, estação Saint-Germain-des-Prés.
• Mercado de Natal da Torre Montparnasse: Metrô linhas 4, 6, 12 e 13; estação Montparnasse – Bienvenüe.
• Mercado de Natal do Trocadéro: Metrô linhas 6 ou 9, estação Trocadéro.
• Mercado de Natal da Gare de l’Est: Metrô linhas 4, 5 ou 7, estação Gare de l’Est.

Gostou? Então inscreva-se no canal, curta e compartilhe :)

Bisou,
Bia Ghedini

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Roteiro de 3 dias Normandia - 2º dia Honfleur, Trouville e Deauville

Honfleur

Continuando o roteiro de 3 dias pela Normandia, vamos recapitular:

1º Dia: Étretat , parada rápida em Le Havre e dormir em Honfleur. (Post aqui)
2º Dia: Explorar Honfleur e visitar Trouville e Deauville.
3º Dia: Praias do Desembarque (Dia D).

Honfleur

Acabei o último post com nossa chegada à Honfleur, onde ficamos hospedados no Hotel Ibis Honfleur. Sei que muitos torcem o nariz para os hotéis desta rede, mas mostro neste post a explicação e diversos motivos que fazem optar por ela em viagens pela Europa.

A localização do hotel é ótima, apenas 10 minutos a pé até o centro da cidade. Vale a pena ir a pé porque é complicado encontrar onde parar o carro.

Precisávamos ficar atentos ao relógio pois em Honfleur os restaurantes fecham super cedo. Além disso, era verão (fomos em julho) e o sol estava se pondo por volta das 22h, o que nos dá uma impressão errada do horário real. 

Por conta disso, fizemos o check-in rapidinho, deixamos as coisas no quarto e saímos para comer. Ao lado do hotel tinha uma creperia que foi muito bem indicada pela recepcionista, então resolvemos conferir.

Crêperie Les Pieds dans l'Herbe

E realmente era uma delicia! O ambiente era super charmoso e haviam várias famílias locais jantando.

Honfleur

No dia seguinte, acordamos cedo para aproveitar e passamos a manhã toda descobrindo Honfleur. Que cidade encantadora!

Rua no centro de Honfleur

Cada viela que entravamos era uma surpresa e as faixadas das casas têm características bem marcantes.

Église Sainte-Catherine e feira de rua

Era um sábado e havia uma feira enorme tomando diversas ruas da cidade. Vendia-se de tudo, desde frutas e legumes até obras de artes e antiguidades. Tive a impressão de que a feira começava na Église e continuava pelas ruas menores. Um pouco depois das 10 horas já havia bastante gente na rua principal, então aproveite para explorar enquanto está mais vazia!

Honfleur

Como a cidade é bem pequena, por volta da hora do almoço já havíamos conseguido ver praticamente tudo. Decidimos então seguir para almoçar em Trouville e depois conhecer Deauville - mais para frente nesse post conto como foi a passagem por essas duas cidades.

Retornamos a noite para Honfleur e jantamos em um restaurante na Quai Sainte-Catharine que infelizmente esquecemos de anotar o nome.

Quai Sainte-Catherine

Nessa parte da cidade você encontra diversos restaurantes com preços variados, mas a maioria com preços acessíveis. Escolhemos uma mesa com a vista para os barquinhos e pedimos a formule de moules frites com uma taça de vinho por 11,50 euros.

Moules frites e taça de vinho

Confesso que as moules de Étretat estavam mais gostosas, mas essas estavam boas também. O lugar, paisagem e clima ajudaram.

Para fechar Honfleur com chave de ouro, não podíamos deixar de tomar uma cidra local, produto típico da região da Normandia. Entre várias opções, acho que acertamos em cheio no lugar: La Cidrerie.

La Cidrerie 

Fomos recebidos muito bem e o ambiente é uma graça. Tomamos a cidra (ele brut, eu doux) e eu comi um crepe de sobremesa. Muito bom, mega aprovado!


Trouville

De Honfleur até Trouville foram uns 25 minutos de carro. Super rápido! 

Trouville

Chegamos na cidade por volta das 13h, mas antes de almoçar paramos para pegar um mapa no  'Office de Tourisme', o que foi ótimo! (Já conto o motivo mais adiante no post)

Em Trouville há uma rua cheia de restaurantes especializados em frutos do mar. Os pescados ficam a mostra para que o cliente escolha exatamente o que quer comer e então são preparados na hora. 

Robert et Denis

Escolhemos o Robert e Denis. Sem sombra de dúvida foi um dos melhores pratos de frutos do mar que já comi! Estava delicioso! 

Prato no restaurante Robert et Denis

Saímos satisfeitos e com vontade de voltar em breve só para comer lá de novo.

Voltando ao mapa da cidade que mencionei anteriormente: ele traz uma sugestão de roteiro, indicando o início no próprio Office de Tourisme, seguindo até o cassino da cidade, caminhando um trecho pela orla da praia e retornando por dentro dos bairros. Seguimos essa sugestão e fizemos o trajeto em mais ou menos 1 hora.

Plage Trouville
Casas em Trouville

E assim nos despedimos de Trouville! Adoramos!


Deauville


De Trouville até Deauville pode-se ir a pé tranquilamente, são cerca de 20 min. Como paramos o carro em um estacionamento pago com limite de 2 horas para permanência, não valia a pena. Fomos de carro e levou 7 min.


Plage Deauville

Deauville é conhecida pelos guarda-sóis coloridos da foto acima e eles estão presentes em quase todos os souvenirs da cidade.

Plage Deauville

Passeamos pela orla da praia, mas poucas pessoas faziam o mesmo. Notamos essas "cabines" de frente para a praia, cada uma levando o nome de um artista famoso.

Ao que tudo indica, essas cabines são utilizadas pelos próprios moradores da cidade para guardar seus utensílios de praia e também servem como vestiário. Algumas estavam disponíveis para alugar e você também podia tomar uma ducha.

Plage Deauville

O momento praia merecia um sorvete, mesmo com o dia nublado!

Depois de passear pela praia fomos conhecer o centro.

Deauville

O centro estava bastante movimentado, com diversas opções de restaurantes e lojas. A maioria das lojas são mais chiques e os preços mais altos em comparação à Trouville.

Marie de Deauville

Deauville também tem seu charme!

Já era final da tarde e, como contei anteriormente, voltamos para Honfleur para jantar e passar a noite.

Acaba aqui o segundo dia do roteiro. Não perca o último dia pois ainda tem muita coisa boa!

Espero que tenham gostado. Caso tenham alguma dúvida, dica ou crítica, deixe seu comentário!

Bisou :) 


(Look | Regata e pulseiras: H&M • Calça: Primark • Moletom: Adidas • Bolsa: Kipling • Óculos: Ray Ban • Relógio: Casio)

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Dica de como escolher hotéis pela Europa

Viajar é uma delícia, mas a cada vez que escolhemos um destino, surge a dúvida: onde se hospedar? Hoje em dia são tantas opções à nossa disposição que esta tarefa acaba se tornando realmente difícil e gera certa ansiedade, afinal só vamos descobrir se fizemos uma boa escolha quando estivermos no dia D! No post de hoje vou contar um pouco sobre uma solução segura, prática e de ótimo custo benefício que utilizamos em nossas últimas viagens pela Europa: sim, ele, IBIS!

Sei que muita gente torce o nariz para os hóteis dessa rede no Brasil, mas posso garantir que nossa experiência com ela por aqui tem sido excelente! Vou descrever alguns fatores:


1. Custo Benefício

Hotéis pela Europa costumam ser beeem caros - principalmente nas cidades mais turísticas - e o pior é que a qualidade quase nunca justifica o preço. Caso não tenha boas indicações, a chance de cair em uma furada (hotéis velhos, sujos, mal localizados, péssimo atendimento, etc.) é alta. Basta fazer uma pesquisa em sites como booking.com e comparar aos preços oferecidos pela rede Ibis (Grupo Accor) e você verá a diferença.

Além disso, quando viajamos pela Europa gostamos de passar a maior parte do tempo possível pela rua, descobrindo cada cantinho do lugar em que estamos. Por isso, o que buscamos é um hotel limpo, com chuveiro decente e uma cama gostosa para descansar e acordar zerados para o dia seguinte. Deixamos os hotéis do estilo resort, com mil e uma opções de conforto e lazer, para as viagens em que o atrativo é a hospedagem em si.


2. Programas de fidelidade

O programa de fidelidade do Grupo Accor, dono da rede Ibis, é um dos melhores que participo. Com ele, 2.000 pontos equivalem a um abatimento de 40 Euros no valor da sua hospedagem. Simples assim! Nada de trocar pontos por torradeira ou cafeteira! Nesse programa os pontos valem dinheiro vivo.

O que também ajuda muuuito a acumular pontos para gastar dessa forma é que você pode utilizar seus pontos do programa Multiplus para comprar pontos do fidelidade Accor. A cada 6.000 pontos múltiplus são 2.000 pontos Accor, ou seja, 40 Euros :)

Como tínhamos muitos pontos acumulados em ambos programas por conta de viagens passadas, nossa hospedagem ficou quase de graça em algumas cidades. Ainda precisa de mais argumentos? Vamos lá!


3. Localização

Para esse critério, temos que redobrar a atenção pois alguns dos hotéis da rede Ibis costumam estar muito próximos de aeroportos e estações de trem (o que em várias cidades acaba sendo longe do centro). Porém, também há opções muito bem localizadas no próprio centro das cidades. A dica aqui é fazer uma primeira seleção com base no nome do hotel (exemplo: Ibis Barcelona Centro) e depois conferir no Google Maps se a localização é conveniente para os principais pontos que você quer visitar naquela cidade. Não tem erro!


4. Expectativa vs Realidade

Já ouviu a expressão "o combinado não sai caro"? É exatamente isso! Quando você sabe exatamente o que esperar, não tem como se decepcionar e o medo de cair em uma furada vai por água abaixo.

Nos hotéis Ibis você sabe exatamente o que irá encontrar em qualquer lugar do mundo em que se hospedar. Algumas coisas variam de acordo com a localização, como por exemplo a decoração e o café da manhã, mas no geral ele é o Mc Donald's dos hotéis! Big Mac's e quartos do Ibis são iguais em todos os países. Mas como uma das coisas mais gostosas de viajar é descobrir a culinária local, eu prefiro dedicar tempo na preparação do roteiro para pesquisar restaurantes fantásticos e tiro a hospedagem logo da frente!

Agora algumas fotos para matar a curiosidade:

Vista do quarto no Ibis de Amsterdam
Outro ângulo da vista do quarto no Ibis de Amsterdam
Quarto do Ibis de Amsterdam
Quarto do Ibis em Bruges
Detalhes do café da manhã do Ibis em Honfleur, na França

Dica: de todos os hotéis da rede que eu já fiquei, o melhor café da manhã é o do Ibis Honfleur, na França. Geralmente o café da manhã deles é bem parecido, mas esse tinha muita coisa típica da região e era super caprichado. 


Quarto do Ibis Styles em Madrid

Para finalizar, segue abaixo a lista com os nomes e links de todos os Ibis que já ficamos hospedados. Todos com uma boa localização e ótimo atendimento:
Para nossa próxima viagem vamos experimentar um hotel da rede Mercure, também do Grupo Accor. Depois conto para vocês se a experiência foi boa!

Espero que tenha ajudado! Qualquer dúvida é só deixar seu comentário.

Bisou :)

terça-feira, 15 de novembro de 2016

#01 - Como chegar na Primark de Paris


Siiim, tem Primark em Paris!!! (Na verdade bem pertinho de Paris)

Nesse vídeo de estréia mostro para vocês como chegar em uma das lojas e também um pouquinho dela por dentro.

Segue o endereço da Primark que eu fui: Centre Commercial Régional Créteil Soleil. Avenue de la France libre, 94000 Créteil

e também o endereço da outra loja que comentei: Centre Commercial Qwartz, 20 Rue de la Bongarde, 92390 Villeneuve-la-Garenne

Gostou? Então inscreva-se no canal, curta e compartilhe!

Bisou :)

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Roteiro de 3 dias Normandia - 1º dia Étretat, Le Havre e Honfleur

Étretat

Uma das coisas mais empolgantes de quando soube que moraria em Paris foi saber que poderíamos simplesmente pegar um carro (ou trem, ônibus, avião) e conhecer muito lugares incríveis pela França. Acho que quase todo mundo que vai morar fora acaba pensando: "Já que estou aqui posso aproveitar e conhecer muitos outros lugares!"

Passada essa empolgação inicial, fiquei MUITO na dúvida sobre qual lugar conhecer depois de me ambientar em Paris.

Na minha primeira vez na Europa escolhi com meu namorado os seguintes destinos: Bélgica (Bruxelas e Bruges), Holanda (Amsterdam) e a Espanha (Madrid e Barcelona). Foi uma viagem incrível, mas nós estávamos de férias, então tínhamos 20 dias para curtir (prometo que em breve eu vou fazer um post sobre essas viagens). Agora, morando aqui, podemos viajar com mais frequência, porém as viagens precisam ser mais curtas, aproveitando finais de semana e feriados.

Depois de pesquisar bastante, decidimos que gostaríamos de explorar a região da Normandia primeiro. Então montamos um roteiro para 3 dias, no final de Julho, fazendo base em Honfleur:

1º Dia: Étretat , parada rápida em Le Havre e dormir em Honfleur.
2º Dia: Explorar Honfleur e visitar Trouville e Deauville. (Post aqui)
3º Dia: Praias do Desembarque (Dia D).

Vou fazer um post para cada dia para poder dar bastante detalhes :)

Antes de avançar, sei que muitos perguntariam: "E o Mont de Saint-Michel? Você não vai? Como assim?". Nós decidimos esperar mais um pouco. Como tínhamos apenas 3 dias, optamos por conhecer as praias do desembarque e deixar o Mont de Saint-Michel para outra vez (na verdade, como estou postando esse roteiro meio atrasado, já visitamos Saint-Michel e postarei em breve! Nessa outra viagem ainda conhecemos Saint Malo e Rennes)


Transporte


Carro Fiat 500

Decidimos ir de carro, saindo de Paris. Alugamos um Fiat 500 pela Europcar e retiramos na Gare Montparnasse. O carro estava novinho, uma graça. É mais do que suficiente para 2 pessoas e anda super bem na estrada! Me diverti com o teto solar hahaha. Mas atenção: caso tenha que levar pessoas no banco de trás, recomendo um carro maior.

Brasileiros podem alugar normalmente apenas com a carteira de motorista brasileira. Você não precisa se preocupar em tirar a carteira de motorista internacional.

De Paris até Étretat levamos 2h30 e no percurso há alguns pedágios.

Pedágio

Sempre escolha a faixa que tiver o simbolo do cartão ou dinheiro. A faixa com esse símbolo ¨T¨ é como se fosse o Sem Parar do Brasil, então cuidado! Como temos cartão de crédito daqui, não sei dizer se cartões brasileiros são aceitos, então na dúvida é preferível ter dinheiro trocado e passar na faixa com o sinal do dinheiro. Na França existem 2 tipos de pedágios. Um em que você paga um preço fixo a cada parada e outro que você retira um ticket quando entra na estrada e paga ao sair, dependendo do trecho rodado. Nessa caso foi preço fixo!

Caixa do pedágio

A foto acima mostra como fizemos para pagar utilizando cartão de crédito. A máquina "engole" seu cartão e devolve muito rápido, sem solicitar senha. Ficamos até surpresos pois a cancela levantou muito rápido após colocar o cartão. 


Étretat

Chegando em Étretat, paramos o carro na entrada da cidade. O estacionamento é gratuito e fica a 10 minutos a pé do centro. Há opções de estacionamento dentro da cidade também, mas além de ter que pagar, a gente não quis arriscar de não encontrar vaga e ter que ficar rodando a toa.

Office de Tourisme

A cidade é MUITO pequena, mas para não ter erro fomos direto ao 'Office de Tourisme' pegar um mapa.

Cidade de Étretat

O centro da cidade é praticamente uma rua e no final dela você chega na praia. No caminho há várias lojinhas, restaurantes e até um casino.

Plage d'Étretat

Só de chegar na praia já valeu a viagem toda, que lugar incrível! A praia é inteira de pedras redondas ao invés de areia! É estranho pois mesmo sendo pedras elas afundam ao pisar. No primeiro momento achei que seria incomodo sentar nelas, mas até que não é ruim. Não sei como seria ficar horas deitada nelas tomando sol, mas o pouco que fiquei foi tranquilo.

Chegando na praia você pode optar entre dois percursos: a direita você encontra a Falaise d'Amont e a esquerda a Falaise d'Aval. Ambos são gratuitos. Quando a maré está baixa você também pode passar por debaixo da famosa "tromba do elefante". Recomendo fazer isso assim que chegar, pois deixamos para fazer a tarde e quando fomos a maré estava subindo e não pudemos passar =/

Resolvemos começar pelo percurso do lado direito, na Falaise d'Amont. 

Escada para o percurso da Falaise d'Amont

Prepare-se para andar! Muita subida, descida e um longo caminho. Passe protetor solar, porque mesmo nublado o sol queima e vá com roupa confortável, de preferencia tênis. Acredite se quiser, vi gente de salto alto no meio da trilha, então não custa deixar a dica! hahaha

Vale cada degrau, cada esforço, cada gota de suor! hahaha

Vista de cima da Falaise d'Amont

Além dessa vista ainda tem a La Chapelle.

La Chapelle

No meio do nada e com uma vista privilegiada. Quando fomos ela estava fechada, não sei se em algum momento ela abre para visitas.

Caminho da Falaise d'Amont
Porte d'Amont-Chaudron

Depois de conhecer este lado, resolvemos fazer uma pausa para almoçar.

Les Roches Blanches Restaurant

Escolhemos o Les Roches Blanches Restaurant, que fica bem de frente para a praia. Apesar da localização privilegiada, o preço é excelente e amamos a comida.

Vista do almoço
Moules frites

Escolhemos o menu tradicional com Moules frites (mexilhão com batatas fritas), sobremesa e cidra para acompanhar. Não lembro exatamente quanto pagamos, mais foi algo em torno de 15-18 euros por pessoa.

Depois do almoço tentamos passar pela "tromba do elefante", mas foi quando descobrimos que já era tarde. Fomos passeando pela orla até chegar ao outro lado.

Painéis com obras do Monet

Você vai encontrar painéis como o da foto acima, que representam algumas obras de Monet. Eles estão estrategicamente posicionados para te dar a visão que o inspirou. Achei demais!

Para a Falaise d'Aval a trilha é ainda mais pesada! Mas como falei anteriormente, também vale cada esforço.

Vista da Falaise d'Aval com um morador local

No percurso há diversos pontos para você ir parando. Particularmente acho que preferi a vista desse lado.

Um dos pontos da Falaise d'Aval

Acabando o segundo percurso, pegamos o carro e seguimos em direção a Le Havre. Era por volta das 17h, o que ainda nos dava bastante tempo antes de escurecer, pois era verão. 



Le Havre

De Étretat até Le Havre foram uns 35 min. É bem rapidinho. 

Le Havre

Le Havre é bem maior que Étretat e bem diferente. A praia é bonita, mas não tanto como Étretat. Nós praticamente nem paramos, só passamos de carro por lá.

Fizemos questão de ir até o Le Volcan, obra de Oscar Niemeyer que hoje é a casa da cultura.

Le Volcan

Depois passeamos um pouco mais de carro e fomos embora.


Ponte da Normandia

De Le Havre até Honfleur são mais 30 min e você felizmente tem que passar pela Pont de Normandie, que atravessa o Rio Sena e liga as 2 cidades.

Pont de Normandie

Fiz um vídeo passando por ela:


video
(A qualidade está ruim porque o vídeo era do Snap)


Linda, né?


Honfleur

Honfleur

No final do dia, chegamos a Honfleur. Vou deixar a experiencia por lá junto com o roteiro do segundo dia, acho que faz mais sentindo! Post aqui :)

Espero que tenham gostado, se tiverem alguma dúvida, dica ou crítica, deixe seu comentário!

Bisou :) 


(Look | Regata: Mango • Calça: Primark • Moletom e tênis: Adidas • Bolsa: Kipling • Óculos: Ray Ban • Chapéu e pulseiras: H&M • Relógio: Casio)